Políticas Verdes e a Formação de Partidos Ecológicos em Portugal

Autores

  • Antonio Teixeira de Barros Programa de Pós-graduação do Centro de Formação da Câmara dos Deputados

Resumo

O artigo analisa o perfil e as propostas dos partidos políticos  ecológicos portugueses. O propósito é mapear como as ideias ambientais são articuladas nos programas partidários e que aspectos são enfatizados, além das propostas políticas apresentadas, do perfil de governança ambiental defendido e da noção de sustentabilidade que orienta o  discurso partidário. Para tanto, faz-se um exame dos programas das três agremiações que se enquadram nesse perfil: Partido Ecologista Os Verdes (PEV), Movimento Partido da Terra (MPT), Pessoas-Animais-Natureza (PAN). As conclusões mostram que predominam os perfis partidários de orientação sistêmica, que consideram as várias dimensões da sustentabilidade. Em todos os perfis o Estado é considerado o ator principal no âmbito da governança ambiental.

Referências

ALMEIDA, J; PREMEBIDA, A. Histórico, relevância e explorações ontológicas da questão ambiental. Sociologias. v.16, n. 35, p.14-33, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARROS, A. T. A governança ambiental nos planos de governo dos presidenciáveis nas eleições de 2014. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 23, p.181-216, 2017.

BARROS, A. T. 2015a. Política partidária e meio ambiente. Opinião Pública, v. 21, n. 3, p. 693-733.

BARROS, A. T. 2015b. Agenda Verde Internacional e seus Impactos no Brasil. Revista de Estudos e Pesquisas Sobre as Américas, v. 9, p. 160-191.

BARROS, A. T. Brazil’s Discourse on the Environment in the International Arena, 1972-1992. Contexto Internacional, v. 39, p. 421-442, 2017.

BARROS, A. T. A Esquerda Verde. Dados, v. 61, p. 503-540, 2018.

BUDGE, I. Parties, programs and policies. American Review of Politics, v. 14, n. 4, p. 695-716, 1993.

CÂMARA, J. B. D. Governança ambiental no Brasil. Revista de Sociologia e Política, v. 21, n. 46, p.125-146, 2013.

DUVERGER, T. Le Parti Socialisteetl’écologie. Paris: Jean Jaurés Fondation, 2011.

DUBEUX, V.J; CORREA, S.B. O que pensam e sabem sobre sustentabilidade os futuros profissionais? Anais do I Encontro Luso-Brasileiro de Estudos do Consumo 15, 16 e 17 de setembro de 2010, Rio de Janeiro.

ELIAS, N. O processo civilizador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994.

ELOY, A. O ambiente e o ordenamento do território. In: Portugal 20 anos de democracia. António Reis (coord.). Lisboa: Círculo de Leitores, 1994.

GIDDENS, A. A política da mudança climática. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

JORGE, V. L. et al. Análise dos programas eleitorais dos candidatos a presidente em 2014. Revista de Sociologia e Política, v. 26, n. 67, p.1-20, 2018.

KLÜBER, T. E. Atlas/ti como instrumento de análise em pesquisa qualitativa de abordagem fenomenológica. Educação Temática Digital, v.16, n.1, p. 5-23, 2014.

LOUREIRO, C. F. B. Sustentabilidade e educação. São Paulo: Cortez Editora, 2014.

JACOBI, P. R; B, G .R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo. Estudos avançados, v. 25, n. 71, p.135-158, 2011.

IRAZÁBAL, C. City making and urban governance in the Americas: Curitiba and Portland. London: Routledge, 2017.

JOANAZ DE MELO, J; PIMENTA, C. O que é a ecologia. Lisboa: Difusão Cultural, 1993.

LEITE LOPES, J. S. et al. A ambientalização dos conflitos sociais. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2004.

MANIN, B. As metamorfoses do governo representativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v.10, n. 29, p. 5-34, out.1995.

MCNEILL, J. R. Something new under the sun. New York; London: Norton & Company: 2001.

PARTIDO SOCIALISTA PORTUGUÊS. Declaração de Princípios. Programa e Estatutos do Partido Socialista, 1974. Disponível em: https://phplist.ps.pt:8080/GabinetedeEstudos/SITE_GEPS/Programas_Eleitorais_PS/1974.dez_Declaracao.de.Principios.Programa.e.Estatutos.do.Partido.Socialista.I.Congresso.pdf Consultado em: 16 jan. 2019.

PARTIDO PESSOAS-ANIMAIS-NATUREZA. Estatuto, Valores, Filosofia e Missão 2018. Disponível em: http://www.pan.com.pt/quem-somos/valores/filosofia-e-missao.html Acesso em 16/01/2019.

PARTIDO POPULAR. Programa do Partido Popular, 1975. Disponível em: http://www.cds.pt/assets/programa-1993-.pdf. Consultado em: 16 jan. 2019.

PEREIRA ROSA, G. A Quercus nas notícias. Porto: Porto Editora, 2006.

PEREIRA, P. J. S. T. A mundivisão ambiental: partidos políticos e leis em Portugal. Tese de Doutoramento (Ciência Política) Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (2014). 449f.

POGUNTKE, T. Alternative Politics: The German Green Party. Edinburgh University Press, 1993.

PORTO, M. F. Uma ecologia política dos riscos. São Paulo: FIOCRUZ, 2007.

RODRIGUES, E. Os novos movimentos sociais e o associativismo ambientalista em Portugal.In: Oficina do CES, v. 60, p. 1-33. Centro de Estudos Sociais, 1995.

SAINTENY, G. Le Parti socialiste face à l'écologisme. Revue Française de Science Politique, Paris, v. 44, n. 3, p. 424-461, 1994.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI. São Paulo: Nobel, 1993.

SARTORI, G. Partidos y sistemas de partidos. Madrid: Alianza, 1999.

SCHMIDT, L. 2003. Ambiente no Ecrã. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2003.

SCHMIDT, L. Sociologia do ambiente. Análise Social, Lisboa, v. 34, n.150, p.175-210, out./dez, 1999.

SOROMENHO-MARQUES J. V. Ambientalismo e política em Portugal. In C. BECKERT (Coord.), Natureza e ambiente. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2001.

URBINATI, N. Crise e metamorfoses da democracia. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 28, n. 82, p.5-16, 2013a.

Programas Partidários

MOVIMENTO PARTIDO DA TERRA. Programa e Estatutos, 2014. Disponível em: http://mpt.pt/wp-content/uploads/ESTATUTOS-MPT-ainda-em-vigor.pdf. Acesso em 16 jan. 2019.

MANIFESTO DO PAN. Disponível em: http://www.pan.com.pt/eleicoes/propostas-pan.html. Acesso em: 18 set. 2017.

PEV. Programa. Disponível em: http://www.osverdes.pt/pages/partido---programa/introducao-alternativa-ecologista.php. Acesso em: 18 set. 2017.

Downloads

Publicado

2021-11-26