O Processo de Leitura e Escrita na Alfabetização Acadêmica: Possibilidades Formativas

Autores

Resumo

Abordamos neste ensaio a alfabetização acadêmica, tendo como enfoque o processo de leitura e escrita dos estudantes no ensino superior. Buscamos demonstrar que a aflição diante de exercícios de leitura e escrita na academia perpassa aspectos concernentes às primeiras etapas de alfabetização escolar desses indivíduos e continuam presentes quando acessam essa nova cultura em sua trajetória formativa. Ancorados em leituras e reflexões a partir de nossas experiências como estudantes e docentes do nível superior, problematizamos a temática e salientamos que a identificação e o reconhecimento com o processo de leitura e escrita pode resultar em modos de intervenção social significativos e em outras possibilidades formativas.

Biografia do Autor

José Douglas Alves dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Pedagogia e tem mestrado em Educação, ambos pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). No momento, realiza o doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). É membro do Núcleo Infância, Comunicação, Cultura e Arte (NICA) e também participa do Coletivo Tecendo: cultura arte educação. Idealizador e coordenador do Zensacionalista. Escritor fatimense, cinéfilo, criançólogo e Desmistificador de Dálias. E-mail: jdneo@hotmail.com

Éverton Vasconcelos de Almeida, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Educação no Programa de pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Educação pela UFSC (2015). Licenciado em Arte, com habilitação em Música, atua como professor na Rede pública Estadual de Santa Catarina. É membro do Grupo de Pesquisa sobre Currículo ITINERA (http://itinera.ced.ufsc.br/)

Marizete Lucini, Universidade Federal de Sergipe

Professora Adjunta do Departamento de Educação e Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED/UFS).  Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Referências

AGANBEN, Giorgio. Do livro à tela. O antes e o depois do livro. In: ______. O fogo e o relato: ensaios sobre criação, escrita, arte, livros. São Paulo: Boitempo, 2018.

ALMEIDA, Éverton Vasconcelos de. “Para escrever é preciso ler...”. Currículo, Tecnologia, Cultura, Política, Arte, Educação, Florianópolis/SC, ano 1, s/n, ago., 2020. Disponível em: https://tonever23.wordpress.com/2020/08/22/para-escrever-e-preciso-ler/. Acesso em: 30 out. 2020a.

ALMEIDA, Éverton Vasconcelos de. Reflexões sobre o processo de “redizer” ou a enunciação da morte do autor. Currículo, Tecnologia, Cultura, Política, Arte, Educação, Florianópolis/SC, ano 1, s/n, ago., 2020. Disponível em: https://tonever23.wordpress.com/2020/08/02/reflexoes-sobre-o-processo-de-redizer-ou-enunciacao-da-morte-do-autor/. Acesso em: 30 out. 2020b.

ALVES, Rubem. Entre a ciência e a sapiência: o dilema da educação. São Paulo: Loyola, 1999.

ALVES, Rubem. Gaiolas ou asas: a arte do voo ou a busca da alegria de aprender. Porto: Edições Asa, 2004.

ANTUNES, Arnaldo. Encontros – Organização Barbara Ribeiro. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2016.

ARAÚJO, Carla Queiroz de. A biblioterapia e o contar de histórias: um processo terapêutico. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Biblioteconomia) – Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

BARROS, Manoel de. O livro das ignorãças. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2016.

BEZERRA, Ciro de Oliveira; ARAÚJO, Laryssa Virgílio Pereira de; NASCIMENTO, Rayssa Oliveira do. Alfabetização acadêmica: contribuições do método da leitura imanente. In: FERREIRA, Gabriella Rossetti (Org.). Educação: política e organização 3. Ponta Grossa/PR: Atena Editora, 2019. p. 121-129.

BIANCHETTI, Lucídio. O processo da escrita: elementos inibidores e facilitadores. In: BIANCHETTI, Lucídio; MEKSENAS, Paulo. (Orgs.). A trama do conhecimento: teoria, método e escrita em ciência e pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 239-265.

BOTTON, Alain de. Notícias: manual do usuário. Rio de Janeiro: Intríseca, 2015.

CARLINO, Paula. Escribir, leer y aprender enlauniversidad: uma introdución a laalfabetización. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2005.

CARLINO, Paula. Alfabetización académica diezañosdespués. RMIE, México, v. 18, n. 57, p. 355-381, jun. 2013. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/rmie/v18n57/v18n57a3.pdf. Acesso em: 31 de nov. 2020.

COELHO, Frederico. Lado B, lado A: o Rappa (1999). Rio de Janeiro: Cobogó, 2014.

COUTO, Mia. Línguas que não sabemos que sabíamos. In: COUTO, Mia. E se Obama fosse africano?e outras intervenções. São. Paulo: Companhia das Letras, 2011. p. 11-24.

ESTÉS, Clarissa Pinkola. O dom da história: uma fábula sobre o que é suficiente. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

EVANGELISTA, Olinda. Devem os alunos escrever? In: BIANCHETTI, L. (Org.). Trama e texto: leitura crítica – escrita criativa. São Paulo: Summus, 2002.

FERRAZ, Marina Nogueira. Introdução à biblioterapia. Batatais, SP: Claretiano, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

GADOTTI, Moacir. Boniteza de um sonho: ensinar-e-aprender com sentido. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2011.

GIRARDELLO, Gilka. A escrita antes do texto. In: BIANCHETTI, Lucídio; MEKSENAS, Paulo (Orgs.). A trama do conhecimento: teoria, método e escrita em ciência e pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 287-300.

INAF Brasil 2011. Indicador de alfabetismo funcional. Principais resultados. Relatório. Instituto Paulo Montenegro; Ação Educativa; IBOPE Inteligência, São Paulo, 2012.

INAF Brasil 2018. Indicador de alfabetismo funcional. Resultados Preliminares. Relatório. Instituto Paulo Montenegro; Ação Educativa; IBOPE Inteligência, São Paulo, 2018.

LARROSA, Jorge. Linguagem e educação depois de Babel. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LAZZARIN, Luís Fernando. Introdução à escrita acadêmica. Santa Maria, RS: UAB/NTE/UFSM, 2016.

MACHADO, Ana Maria Netto. Pânico da folha em branco: para entender e superar o medo de escrever. In: BIANCHETTI, L.; MEKSENAS, P. (Orgs.). A trama do conhecimento: teoria, método e escrita em ciências e pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 267-286.

MARTIN, Eloísa. Ler, escrever e publicar no mundo das ciências sociais.Soc. estado., Brasília, v. 33, n. 3, p. 941-961, dez., 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/se/v33n3/0102-6992-se-33-03-00941.pdf. Acesso em 30 out. 2020.

MENEGHETTI, Francis Kanashiro. O que é um ensaio teórico? Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 15, n. 2, p. 320-332, mar./abr., 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rac/v15n2/v15n2a10.pdf. Acesso em: 31 out. 2020.

NÓVOA, António. Carta a um jovem investigador em educação. Investigar em Educação, IIª série, n. 3, p. 13-21, 2015.

OLIVEIRA, Luís Adriano. Escrita científica – da folha em branco ao texto final. Lisboa, Portugal: Lidel, 2018.

RIBEIRO, Vera Masagão; VÓVIO, Claudia Lemos; MOURA, Mayra Patrícia. Letramento no Brasil: alguns resultados do indicador nacional de alfabetismo funcional. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 81, p. 49-70, dez., 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v23n81/13931.pdf. Acesso em 31 out. 2020.

SCLIAR, Moacyr. Uma autobiografia literária: o texto, ou: a vida. Porto Alegre [RS]: L&PM, 2017.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, Amanda Barbosa Nogueira da. Biblioterapia, a cura da alma pela leitura: um estudo acerca de sua aplicação, benefícios e atuação do bibliotecário. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação no curso de Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação) – Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

SILVA, Juliana Carla Gomes da. O Projeto de Lei N° 4186/2012: em cena a atuação da biblioterapia. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Biblioteconomia) – Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016.

SILVA, Tomaz Tadeu. Como enfrentar a síndrome da folha em branco. Porto Alegre, RS: PPGEDU, 2002.

SKLIAR, Carlos. Escrevendo e lendo sobre a identidade, a diferença e a solidão. Leitura: Teoria & Prática, Campinas, v. 34, n. 66, p.13-29, 2016.

SOARES, Magda. Para quem pesquisamos? Para quem escrevemos? In: MOREIRA, Antônio Flávio; SOARES, Magda; FOLLARI, Roberto; GARCIA, Regina Leite (Orgs.). Para quem pesquisamos, para quem escrevemos: o impasse dos intelectuais. São Paulo: Cortez, 2011. p. 71-96.

SUTHERLAND, John. Uma breve história da literatura. Porto Alegre, RS: L&PM, 2017.

YUKA, Marcelo. Não se preocupe comigo. Rio de Janeiro: Sextante, 2014.

Downloads

Publicado

2021-11-26