Educação e complexidade em tempo de cultura digital

Autores

Resumo

O artigo discorre sobre a educação, problematizada pela perspectiva do ensino e da aprendizagem, tensionada pelos algoritmos e pelo acoplamento tecnológico proposto em uma cultura cada vez mais digital. A partir da Complexidade, procura discutir alternativas de emancipação do sujeito para além das programações previstas pelos dispositivos. Parte da perspectiva teórica da ontoepistemogênese para refletir sobre alfabetização e intersecção entre as áreas do conhecimento. Aponta, ao final, práticas didático-pedagógicas de “subversão” com vistas à autonomia dos sujeitos educandos.

Biografia do Autor

Nize Maria Campos Pellanda, Universidade de Santa Cruz do Sul / Professora Adjunta - Pesquisadora

Professora adjunta da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Graduada em História (UFRGS), mestre em História (PUCRS), doutora em Educação (UFRGS / Miami University - Ohio- EUA), com Pós-doutoramento na Universidade do Minho.

Maria de Fátima de Lima das Chagas, Universidade de Santa Cruz do Sul / Pesquisadora

Doutoranda em Educação (UNISC-BR/UMINHO-PT), Mestre em Ambiente, Tecnologia e Sociedade (UFERSA), pesquisadora no Grupo de Ações e Investigações Autopoiéticas (GAIA-UNISC), no Grupo de Estudos de Mídia (GEMINI-UFRN) e do grupo Linguagens, Cognição e Tecnologias (UFERSA).

Rafael Sbeghen Hoff, Universidade Federal do Amazonas / Professor

Professor adjunto da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Graduado em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo (UCPEL), mestre em Letras e Cultura Regional (UCS), doutor em Ciências da Comunicação e Informação (UFRGS), pesquisador no Grupo de Ações e Investigações Autopoiéticas (GAIA-UNISC), vice-líder do Grupo de Pesquisa em Processos Audiovisuais (PROAv-UFRGS) e líder do Grupo de Pesquisa em Processos Imagéticos (PRIMA-UFAM). Email: rafael.hoff@yahoo.com.br 

Downloads

Publicado

2020-12-03