Epidemiologic evaluation of acute viral bronchiolitis (AVB) in infants hospitalized

Autores

Palavras-chave:

Pneumonia, Atelectasis, Prematurity, Thinness

Resumo

ABSTRACT

OBJECTIVE: To characterize the epidemiological profile of AVB and to identify prognostic factors of clinical complications of infants admitted to a pediatric intensive care unit (PICU). METHODS: Prospective cohort study of 61 infants with a clinical diagnosis of AVB admitted to the PICU from June/2016 to July/2017. All infants were followed up during the hospitalization period for clinical and laboratory data collection. In addition, it was carried out an interview with the mothers or legal guardians to obtain socioeconomic information and morbid antecedents. RESULTS: Mean age was 6.9 months, the length of PICU stay was 8.4 days, the prematurity rate was 27.9%, 62.7% presented anemia, and the presence of household smoking 56.7%. Pneumonia (34.4%) and atelectasis (26.2%) were the most prevalent clinical complications. In addition, pneumonia was associated with hospitalization time longer than seven days (OR=3.91, p=0.020), severe dyspnea on admission (OR=3.75, p=0.020), and thinness (OR=3.54, p=0.040). None associations were observed for atelectasis. CONCLUSION: The epidemiological data presented in this study can be applied to the improvement of actions targeting ABV control actions in infants, not only by the identification of the prognostic factors associated with pneumonia but also especially by the necessity to provide greater attention and care to infants with AVB who are thinness and present severe dyspnea on admission to the PICU. DESCRIPTORS: Pneumonia. Atelectasis. Prematurity. Thinness.

RESUMO

OBJETIVO: Caracterizar o perfil epidemiológico da bronqueolite viral aguda (BVA) e identificar fatores prognósticos de complicações clínicas de lactentes internados em unidade de terapia intensiva pediátrica (UTIP). MÉTODOS: Estudo de coorte prospectivo com 61 lactentes com diagnóstico clínico de BVA internados na UTIP no período de junho / 2016 a julho / 2017. Todos os lactentes foram acompanhados durante o período de internação para coleta de dados clínicos e laboratoriais. Além disso, foi realizada entrevista com as mães ou responsáveis ​​legais para obtenção de informações socioeconômicas e antecedentes mórbidos. RESULTADOS: A idade média foi de 6,9 ​​meses, o tempo de internação na UTIP foi de 8,4 dias, a taxa de prematuridade foi de 27,9%, 62,7% apresentavam anemia e a presença de tabagismo doméstico foi de 56,7%. Pneumonia (34,4%) e atelectasia (26,2%) foram as complicações clínicas mais prevalentes. Além disso, a pneumonia foi associada a tempo de internação superior a sete dias (OR = 3,91, p = 0,020), dispneia grave na admissão (OR = 3,75, p = 0,020) e magreza (OR = 3,54, p = 0,040). Nenhuma associação foi observada para atelectasia. CONCLUSÃO: Os dados epidemiológicos apresentados neste estudo podem ser aplicados no aprimoramento das ações direcionadas às ações de controle da BVA em lactentes, não apenas pela identificação dos fatores prognósticos associados à pneumonia, mas principalmente pela necessidade de maior atenção e cuidados aos lactentes com BVA magros e apresentam dispneia intensa na admissão na UTIP. DESCRITORES: Pneumonia. Atelectasia. Prematuridade. Magreza.

 

 

Arquivos adicionais

Publicado

2020-11-27